Data center verde: País reúne condições ideais


As condições climáticas, geográficas e econômicas do mercado brasileiro favorecem a construção de uma nova geração de data centers – batizada de NGDC (Next Generation Data Center). Tratam-se de ambientes projetados para atender às exigências de um menor consumo de energia e de recursos naturais, respeitando ainda questões específicas de disponibilidade e de segurança.

O gerente sênior da consultoria PricewaterhouseCoopers (PwC) e especialista em eficiência em TI, Norberto Tomasini, conta que já realizou uma série de estudos de viabilidade econômica dos projetos de NGDCs e o que mais chama a atenção é o fato do Brasil ter uma matriz energética mais limpa do que a maioria dos outros países.

Ele explica que, pelo fato de hoje a maior parte da energia utilizada em território nacional ser gerada em hidrelétricas, o índice de emissão de dióxido de carbono (CO2) por watt é mais baixo do que o contabilizado nos Estados Unidos, por exemplo, que usam como principais matrizes energéticas os combustíveis fósseis, como o carvão.

Sinal verde
A Vivo está entre as empresas que optaram pela construção de um data center baseado nesse novo padrão internacional. A operadora está na fase inicial de construção de um NGDC em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo.

Uma das peculiaridades é que deve ser o primeiro ambiente no Brasil a receber o selo internacional Leadership in Energy and Environmental Design (Leed), criado pela entidade norte-americana U.S Green Building Council (USGBC). O selo analisa os critérios de racionalização do espaço físico e de recursos, como o consumo de água e luz.

A PricewaterhouseCoopers inaugurou, no final do ano passado, em Atlanta (Estados Unidos), um data center sustentável com certificação Leed. E a consultoria já manifestou o interesse em replicar o modelo no Brasil. Segundo Norberto Tomasini, trata-se de um projeto que já está em análise.

Em paralelo, o gerente da PwC conta que está trabalhando, em conjunto com um grupo de brasileiros, para traduzir a certificação Leed para o mercado nacional. “Os primeiros data centers nesse padrão estão previstos para serem inaugurados neste ano”, detalha o especialista. Ele contabiliza que hoje existem pelo menos seis projetos de NGDCs que serão instalados no País entre 2010 e 2011, seguindo o padrão criado pela USGBC.

As empresas interessadas em construir esses data centers de nova geração precisam estar preparadas não só para atender às rígidas regras de construção e funcionamento, como também para uma boa base de recursos financeiros. A PwC revela que investiu 200 milhões de dólares para implementar o NGDC em Atlanta, homologado com a certificação Leed Silver.

Por Edileuza Soares, da Computerworld

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Green IT. ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s