Parceria com VMware deixa Google mais perto das corporações


A Google e a VMware, empresa da EMC, anunciaram recentemente uma parceria para fazer com que aplicações Java baseadas no código aberto Sprint Framework rodem no Google App Engine for Java (GAE/J). Deveriam as corporações usuárias reconsiderar o uso do GAE/J como ambiente de desenvolvimento para certas aplicações Java?

Há várias evidências de que a Google havia perdido credibilidade no mundo Java, antes dessa parceria com a VMware. Por exemplo, o fórum do GAE/J nos Google Groups tinha um total de 4.962 membros. Considerando os milhões de desenvolvedores Java no mundo, os cerca de 5 mil interessados no GAE/J são, no máximo, um erro de arredondamento.

Apesar de a Google ser uma forte incentivadora do código aberto e de padrões abertos na web, ela resolveu trilhar um caminho menos puro no que diz respeito aos padrões Java. Isso pode ser confirmado na plataforma Android, onde as aplicações são escritas em Java mas não são compiladas com o bytecode Java. Isso causa embaraços à proposição de marketing “codifique uma vez, rode em qualquer lugar” do Java.

E isso também pode ser confirmado no GAE/J, no qual a Google decidiu suportar apenas um subconjunto das especificações Java Enterprise Edition (Java EE). Não conheço muitos tomadores de decisão em Java que queiram checar a página Will It Play in App Engine para ver se uma especificação ou um framework Java em uso por sua empresa vai funcionar no GAE/J. Isso contribuiu definitivamente para a relativa pouca atenção que o GAE/J recebeu dos usuários corporativos de Java.

Credibilidade
Será, então, que a nova parceria entre a VMware e a Google irá oferecer respostas às preocupações de usuários corporativos de Java sobre o GAE/J? A ampla divulgação da parceria parece sugerir que a divisão SpringSource da VMware empresta credibilidade à Google em meio aos desenvolvedores corporativos Java, administradores, e tomadores de decisão. Afinal, foi a SpringSource que criou o código aberto Spring Framework e os projetos de código aberto relacionados.

Apesar de o Spring Framework não ser um padrão, ele é desenvolvido de forma aberta pela VMware, e a licença Apache 2.0 associada ao Spring Framework mostrou ser suficiente para afastar receios de fechamento da aplicação para um framework fora de padrão. Por várias razões, a Spring Framework tornou-se um padrão de fato que compete contra a plataforma Java EE baseada em padrões abertos.

É essa natureza “de fato” do Spring Framework que parece ter atraído a Google. Mas a natureza de código aberto da Spring também teve sua importância, já que trechos importantes do GAE/J são baseados em projetos de código aberto, como escreve o analista da empresa de pesquisas Forrester, Jeffrey Hammond:

“A VMware dá à Google um impulso significativo no âmbito dos desenvolvedores corporativos. A Google é a queridinha dos desenvolvedores do lado de fora dos firewalls, mas do lado de dentro ela ainda tem presença tímida. A realidade é que os grupos de desenvolvimento de TI para corporações são diferentes daqueles da web, sejam de empresas gigantes ou de startups. E o desenvolvimento corporativo Java é algo que o pessoal da Spring entende. Enquanto pergunto sobre a ordem de grandeza dos porcentuais de adoção que o gerente geral da SpringSource, Rod Johnson, mencionou ontem, nossa própria pesquisa com a Dr.Dobbs e com desenvolvedores Eclipse confirmam que o Spring é um dos frameworks mais populares entre os desenvolvedores Java de grandes empresas (com um número significativo de Apache Struts e frameworks próprios aparecendo como alternativas).”

Padrão de fato
Mas será que essa natureza “de fato” da Spring será suficiente para ajudar as empresas a relevar os padrões esparsamente suportados no GAE/J? Por um lado, a natureza “de fato” do Spring faz aumentar as dúvidas sobre o GAE/J. Como este, o Spring não segue à risca os padrões Java. Mesmo assim, pode-se argumentar claramente que uma ausência de aderência a padrões abertos não afetou a adoção do Spring.

Assim, o envolvimento da VMware pode mudar a equação nas mentes dos tomadores de decisão em TI:

“As empresas não se preocupavam muito sobre o fechamento de código do portfólio não-padrão do Spring na época em que ele era da SpringSource, uma empresa pequena e amigável. Agora que ele vem da VMware, um grande fornecedor de software para corporações com motivações de lucro bem definidas, seria sábio manter-se atrás de uma especificação de Java relevante, como Java EE 6 Web Profile.”

Nos últimos nove meses – e, mais recentemente, na conferência WebSphere, há duas semanas – soube de grandes empresas usando Spring que planejam migrar para padrões abertos. Para elas, agora que a VMware é parte da equação, ser open source não é mais condição suficiente para aliviar os medos de fechamento de código.

Não estou de jeito nenhum sugerindo que o uso de Spring nas empresas vai diminuir pela metade do dia para a noite ou algo tão ridículo como isso. No entanto, as empresas estão começando a considerar sua liberdade de ação futura diante da possibilidade de terem aplicações confinadas em um framework controlado unicamente por uma das maiores empresas de software do planeta.

Teste e produção
Por outro lado, é verdade que os desenvolvedores escolheram a Spring Framework – padrões à parte – bem antes de seus gerentes ou CIOs saberem ou darem suas opiniões. Alguns subconjuntos desses desenvolvedores deverão experimentar converter suas aplicações Spring para GAE/J simplesmente para ver o que funciona ou não. Desses desenvolvedores, alguns serão capazes de convencer seus gerentes de que o GAE/J representa um ambiente de entrega de aplicações de custo mais baixo que o de data Center tradicional para aplicações Java. O caráter crítico da aplicação em relação ao negócio e, mais importante, o nível de importância dos dados exigidos ou gerados pela aplicação terão um impacto em como o tomador de decisão em TI aprovará uma entrega de sistema em GAE/J.

O uso do GAE/J para desenvolvimento e teste, com os ambientes reais de produção funcionando em outros frameworks que não o GAE/J, é outro caso potencial para a combinação de Spring com GAE/J. De sua parte, a VMware está posicionando o Spring Framework como uma rota rumo a um Java portável para “qualquer” plataforma de nuvem.

Por Savio Rodrigues, da InfoWorld/EUA

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Programming Language com as etiquetas , , , . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s