Sistemas Sociotécnicos


Estudando o livro Engenharia de Software – Ian Sommerville – 8ª Edição – capítulo 2

Sommerville define o tipo de sistema que ele aborda no livro como: Um sistema é o conjunto intencional de componentes inter-relacionados que funcionam juntos para atingir certo objetivo.

São duas as categorias de sistemas que incluem software: Sistemas técnicos baseados em computadores e Sistemas sociotécnicos.

O sistema técnico baseado em computador inclui hardware e software, mas não inclui procedimentos e processos. O sistema é utilizado para algum propósito, mas o sistema em si não reconhece para qual finalidade está sendo usado. Sommerville exemplifica com o processador de texto que utilizamos, ele não está ciente de que está sendo usado para escrever o post de um blog.

O sistema sociotécnico inclui um ou mais sistemas técnicos, incluem pessoas como partes inerentes do sistema e inclui também conhecimento de como o sistema deve ser usado, o que significa que esses sistemas tem processos operacionais definidos, são regidos pelas organizações e podem ser afetados por leis e políticas regulamentadoras.

As características do sistema sociotécnico são: eles possuem propriedades emergentes; são, frequentemente, não determinísticos, ou seja, nem sempre respondem igualmente a uma entrada especifica, seu comportamento depende do operador humano; o apoio aos objetivos organizacionais não dependem apenas do sistema em si, mas principalmente de como as pessoas interpretam esses objetivos. A finalidade deste sistema é auxiliar na conquista de uma meta organizacional ou de negócio.

As propriedades emergentes do sistema aparecem apenas após a integração dos componentes e são divididas em dois tipos: funcionais (aparecem quando todas as partes do sistema trabalham juntas) e não funcionais (referem-se ao comportamento do sistema em seu ambiente operacional).

Alguns exemplos de propriedades emergentes são: desempenho, confiabilidade, proteção, facilidade de reparo e usabilidade.

O processo de Engenharia de Sistemas engloba a definição de requisitos, o projeto do sistema, o desenvolvimento do sistema, a integração, a instalação a evolução e a desativação do sistema. É a atividade de especificação, projeto, implementação, validação, implantação e manutenção de sistemas sociotécnicos (Sommerville).

Sistemas legados são sistemas sociotécnicos desenvolvidos no passado usando tecnologias mais antigas e obsoletas. Esses sistemas, por serem muito complexos, são de difícil descarte. Sua substituição é onerosa e arriscada. Estes sistemas são, geralmente, sistemas críticos de negócios.

Anúncios
Esta entrada foi publicada em Software Engineering com as etiquetas . ligação permanente.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s